Quase abril!

O ano terminou ontem e de repente amanhã já é abril sabe?

Hoje eu to naqueles dias que acordar foi tipo tortura. Cansada é meu segundo nome já, e confesso que estudar 10 matérias de uma vez está sendo até agora o maior desafio do mundo.

Ai no meio de provas e mil e um projetos pra finalizar, eu resolvi começar a fazer Yoga. Por que? Porque eu quero fazer alguma coisa com meu corpo. E não tem nada a ver com meu peso, já falei mil vezes que sou bem feliz com o corpo que eu tenho, mesmo que ele esteja acima do “peso ideal” que o povo fala. Pra mim peso ideal é o que eu me sinto feliz e bem.

Mas, é por uma questão de saúde mesmo, de querer ter mais disposição, de cuidar de mim. Aprender a respirar melhor, ter mais flexibilidade e tudo mais. E pra quem passou quase 30 anos procrastinando isso, chegou a hora de mudar né? Escolhi o Yoga porque acho que existe um bom equilíbrio de corpo e mente, e sei que isso vai me fazer bem. Me sinto velha falando tudo isso, mas não acho isso ruim, vai entender né?

E sobre o tempo passar rápido, na verdade não foi tão rápido assim. Mas por aqui foi vivido um dia após o outro, bem devagar. Tenho impressão que nos últimos 5 meses passei por tanta coisa, cada uma com sua dificuldade particular a superar, e definitivamente aprendi um milhão de coisas. E acho que é isso que eu vim escrever.

Eu comecei a fazer terapia há um pouco mais de dois anos atrás, e acho que até aqui já falei algumas vezes do quanto me ajudou em várias questões da minha vida. Porém, justo no meio do furacão que passou por aqui, minha psicóloga estava de licença, aliás, ainda está.

Confesso que sozinha foi muito mais difícil me achar no meio de tudo, respirar, definir o que eu quero, tentar me erguer, me abrir, não me frustrar, não desistir, e viver um dia de cada vez. Porque realmente nada como um dia após o outro para que as coisas comecem a melhorar, mas isso só é verdade se VOCÊ quer que melhore.

Eu passei muitos dias me perguntando porquê eu estava passando por tudo ao mesmo tempo, chorando, tentando achar solução imediata, e a verdade é que não existe uma. Existe entender, conversar, conversar, conversar, pedir ajuda pra quem você ama e confia, e aprender. Aprender com erros, com acertos, com as dores, com o amor, com a perda, com VOCÊ. A pergunta que eu mais me fiz nesse tempo, como EU estou me sentindo? E ninguém te conhece melhor do que você mesmo. Então, não tenha medo de querer entender o seu lugar, o seu sentimento, a sua escolha.

Agora eu acredito que o furacão tenha ido embora. Dias mais bonitos e ensolarados chegaram, e eu consegui voltar a ter minha segurança em tudo. Segurança de ser eu e de me manter assim.

E eu sei que daqui a pouco chega julho, e dezembro, e o ano novo. Nesse meio tempo eu vou tentando continuar a dar um passo de cada vez, não esquecer de respirar e nem me perder no meio de qualquer coisa que aconteça.

O inferno astras ás vezes ajuda ta vendo? Mil anos depois voltei aqui e com um post enorme! Que abril seja incrível! Vem primavera, to te esperando ❤

😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s