Contra o Bullying

Eu voltei  a estudar este ano mesmo me sentindo a tiazinha da sala no meio dos adolescentes e me deparei com algo que jurava que não ia encontrar: o bullying.

Ele existe provavelmente desde que o mundo é mundo. Na minha época esse nome nem existia, e muito menos existia algo pra combater. O resultado é que ele ainda entra em pauta nas minhas sessões de terapia.

Mas, voltando aos dias atuais, o bullie da vez é, pasmem, minha professora de literatura inglesa. Eu reclamei dela desde o primeiro dia de aula para o marido, e com o passar das aulas, a situação ia piorando. Na segunda-feira dessa semana resolvi perguntar aos outros alunos o que eles achavam, porque de repente, o problema poderia ser só eu né (mais velha da sala vendo uma professora abusando do seu poder, sei lá), mas não, todos alunos que eu conversei tinham a mesma sensação, que ela era bullie, e pior, era preconceituosa.

Na próxima aula, que foi quarta-feira, sai de lá decidida a reclamar no próximo dia na ‘diretoria’ do meu curso, mas não deu tempo. A surpresa veio logo no dia seguinte pela manhã: uma pesquisa enviada para todos os alunos da sala, sobre nossa opinião sobre vários fatores sobre o método de ensino que ela utilizava, e com direito a fazer comentários pessoais no fim, e o mais importante: anonimamente.

Hoje, 1 dia após responder a pesquisa e relatar tudo que eu tinha visto em sala, recebemos um email nos informando que ela não trabalha mais na escola, e passando o nome do novo professor.

Confesso que fiquei extremamente satisfeita com a rapidez e a forma como foi resolvido. Eles realmente ouvem os alunos, e tomam medidas reais para que o bullying não aconteça.

Pra mim foi um enorme alívio, como se tivessem tirado um peso enorme da minha vida, afinal esse era o único curso que me deixava desanimada de toda minha grade, e o motivo era a professora.

Agora é correr atrás do prejuízo, mas estou feliz demais por ter ajudado efetivamente a combater o bullying.

Espero que as escolas no Brasil um dia possam seguir esse exemplo, sei que faria toda diferença na vida de muitos alunos, bom, teria feito na minha pelo menos.

Com 29 anos e aliviada como se eu tivesse meus 12 de novo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s